• Notícias

    Funcionários de empresa no Porto do Açu questionam condições de higiene

    (Foto: Divulgação/Prumo Logística/Arquivo)
    Um grupo de funcionários da empresa Acciona, sediada no Porto do Açu, em São João da Barra, reclama de seguir trabalhando, apesar da determinação de férias coletivas para parte dos trabalhadores, por conta da prevenção ao novo coronavírus. Temendo represálias, eles pediram para não serem identificados. Alegaram que outras empresas como GNA e Andrade Gutierrez suspenderam suas atividades. A Acciona afirmou no último dia 20 que concederia férias coletivas à parte dos funcionários da empresa que trabalham no Açu, a partir desta segunda-feira (23). Eles questionam as medidas adotadas em relação às condições de transporte e higiene da empresa.

    “Há alguns trabalhando em home office, parte de férias, e muitos no escritório, sem luvas e máscaras. Os ônibus estão cheios com pessoas sem máscaras. Há pouca gente na limpeza e os ambientes sem serem higienizados corretamente. O pessoal está com medo, mas não pode parar. Existem pessoas com mais de 60 anos trabalhando. Aqueles de outros estados, preferiram antecipar suas saídas para voltar para casa. No almoço, estão dando luvas de plástico e controlando o fluxo. Mas nos ônibus, não. Ontem, havia de 110 a 120 operários trabalhando”, contou o grupo.

    A reportagem procurou um dos diretores de operação da Acciona por telefone. Ele disse que não podia dar entrevista, e, que qualquer informação deveria ser consultada a assessoria de imprensa. Porém, ele informou que há setores da empresa que não podem parar, inclusive a manutenção de equipamentos.

    A assessoria de comunicação da Acciona  informou que mantém posicionamento anterior de férias coletivas para o maior número de empregados, a partir do dia 23, a fim de mitigar a possível evolução do Coronavírus (COVID-19) na região. Durante este período, a empresa continuará sua avaliação do cenário regional de contágio. Ainda de acordo com a direção da empresa, até o momento não foram registrados diagnósticos positivos para Covid-19 entre o grupo de colaboradores da Acciona. Duas pessoas apresentaram sintomas de gripe, mas foram liberadas da suspeita após avaliação médica.

    A reportagem procurou novamente a direção do Porto do Açu sob responsabilidade da empresa Prumo Logística. De acordo com nota enviada pela companhia, “o Porto do Açu está seguindo rigorosamente todas as orientações dos órgãos e autoridades de saúde para evitar a disseminação do novo coronavírus e, para isso, já adotou uma série de medidas para proteger seus colaboradores e manter as atividades das empresas instaladas, o que tem ocorrido sem restrições.

    Dentre as medidas implementadas para reduzir os riscos de proliferação do vírus estão a adoção do sistema de trabalho em casa (home office) para a maior parte dos colaboradores, redução do efetivo que atua no Porto ao mínimo essencial para continuidade das operações com total segurança, além da introdução de regimes de revezamento entre os funcionários que desempenham seus trabalhos presencialmente. As empresas que operam na área portuária participam de reuniões diárias para instrução, orientação e alinhamento das medidas preventivas.

    O Porto do Açu acredita que mitigar os efeitos da pandemia é responsabilidade de todos e está focado em participar ativamente desse esforço. Vale ressaltar também que a manutenção da atividade portuária é essencial para garantir a circulação de produtos e insumos no país. Apesar da restrição da circulação de pessoas, estradas e portos precisam continuar operando para cumprirem suas funções sociais e econômicas.”




    Fonte: Jornal Terceira Via

    Nenhum comentário

    Deixe-nos Sua Mensagem! Seja Sempre Bem Vindo(a)!