• Notícias

    Sindicato e Federação pedem interdição de plataformas na Bacia de Campos

    Plataforma de petróleo / Divulgação / Petrobras
    O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP) informaram que vão pedir a interdição de parte das sete plataformas na Bacia de Campos que registraram casos de coronavírus entre os trabalhadores, segundo as próprias entidades. 

    De acordo com as duas entidades, as suas respectivas diretorias vão enviar petições à Agência Nacional do Petróleo (ANP), Vigilância Sanitária e à Petrobras para pedir as interdições de algumas dessas plataformas que apresentaram os maiores números de casos.

    Coordenador-geral da FUP, José Maria Rangel chamou atenção para a P-26, onde havia maior número de casos nos últimos dias, mas que está fora de produção. Ela faz parte do plano de redução das atividades da Petrobras em meio à pandemia para cortar custos.

    A gente tem envolvido (outros órgãos) para tentar ver se a gente consegue paralisar essas unidades — disse Rangel.

    Segundo a FUP, as plataformas em questão são antigas e não representariam parcela importante da produção da Petrobras.

    Tanto a Petrobras quanto a ANP não comentam sobre casos específicos. A empresa informou que tem tomado todas as medidas para segurança dos trabalhadores.

    Tomamos todas as medidas preventivas para evitar o contágio nesses casos e orientamos o colaborador e seus familiares por meio das nossas equipes de saúde, seguindo as definições das autoridades sanitárias", disse a Petrobras, em nota.

    No último dia 9 de abril, a ANP divulgou que 34 trabalhadores de uma plataforma entre o Sul do Espírito Santo e Norte Fluminense foram infectados com coronavírus e levados para isolamento em hotéis da Região Metropolitana de Vitória. Um deles mora em Quissamã, que registrou o caso, seguindo orientação do Ministério da Saúde.





    Fonte: Folha 1

    Nenhum comentário

    Deixe-nos Sua Mensagem! Seja Sempre Bem Vindo(a)!