• Notícias

    Febre Amarela: Causas, Sintomas e Tratamento - Previna-se!

    Foto Divulgação
    De segunda a sexta, a Casa de Vacinação de Farol, na Av: Olavo Saldanha, próximo a Mansur, estará vacinando das 08:00 às 16:00hs. 

    Comparecer portando: identidade, caderneta de vacinação e comprovante de residência.

    A vacina é destinada a pessoas entre 9 meses e 60 anos, obedecendo às indicações do Ministério da Saúde, que são: não possuir doenças como câncer, HIV positivo; não ser alérgico a proteína do ovo e a gelatina; não fazer uso de medicamentos como corticoide; não ser gestante e não estar amamentando. No caso de maiores de 60 anos, a secretaria de Saúde preconiza a vacinação apenas mediante laudo médico.

    Reações:

    De acordo com notícia do G1 SP, duas pessoas tiveram reação à vacina contra a febre amarela em Nova Odessa (SP), segundo a Secretaria Municipal da Saúde. Os pacientes apresentaram febre, dores de cabeça, no corpo e atrás dos olhos, além de diarreia após receberem o medicamento, de acordo com a pasta. O governo federal, no entanto, diz que a dose é segura.

    Após o registro dos casos, a pasta iniciou um alerta à população sobre o risco de reação grave. “A vacina contra a febre amarela pode causar desde uma reação sistêmica que vai de sintomas da doença até uma reação mais grave que pode, inclusive, levar o paciente à morte”, disse a coordenadora de Vigilância Epidemiológica do município, Paula Mestriner.

    Surto


    Este ano, o Brasil já teve 234 casos confirmados de febre amarela e 80 mortes pela doença, de acordo com boletim divulgado na terça-feira (14) pelo Ministério da Saúde. Deste total de óbitos, 70 ocorreram em Minas Gerais, estado mais afetado desde o início do surto.

    Febre Amarela

    A febre amarela é uma doença infecciosa causada por um vírus e transmitida por mosquitos. A infecção pode ser categorizada de duas formas: febre amarela urbana, quando é transmitida pelo Aedes aegypti; ou febre amarela silvestre, quando transmitida pelo Haemagogus e Sabethe.

    A doença é considerada aguda e hemorrágica e recebe este nome, pois causa amarelidão do corpo (icterícia) e hemorragia em diversos graus. O vírus é tropical e mais comum na América do Sul e na África. Apesar de ser considerado um vírus perigoso, a maioria das pessoas não apresentam sintoma e evoluem para a cura.

    Existem dois ciclos da febre amarela:

    Febre amarela silvestre: em que mosquitos destas regiões se infectam picando primatas com a doença e podem transmitir a um humano que visite este habitat
    Febre amarela urbana: em que um humano infectado anteriormente pela febre amarela silvestre a transmite para mosquitos urbanos, como o Aedes aegypti, que a espalham.
    É importante alertar que em ambos os casos a doença é a mesma, a diferenciação do ciclo de transmissão apenas ajuda nas estratégias para evitar a disseminação da febre amarela.

    A pessoa permanece em estado de viremia, ou seja, capaz de transmitir o vírus para mosquitos, por até 7 dias após ter sido picada.

    Fatores de risco

    Pessoas que nunca entraram em contato com a febre amarela ou nunca se vacinaram contra ela correm o risco de contrair a doença ao viajarem para locais em que a doença é ativa, mesmo que não haja casos recentes reportados nestas regiões.

    O risco é maior para as pessoas com mais de 60 anos de idade e qualquer pessoa com imunodeficiência grave devido a HIV/AIDS.

    Sintomas de Febre amarela

    Muitas pessoas que contraem a febre amarela não apresentam sintomas, e quando os apresentam, os mais comuns são:

    Febre
    Dores musculares em todo o corpo, principalmente nas costas
    Dor de cabeça
    Perda de apetite
    Náuseas e vômito
    Olhos, face ou língua avermelhada
    Fotofobia
    Fadiga e fraqueza.
    Os sintomas nesta fase aguda da doença costumam durar entre três e quatro dias e passam sozinhos.

    Na consulta médica
    Especialistas que podem diagnosticar uma febre amarela são:

    Clínico geral
    Infectologista.

    Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

    Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
    Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
    Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

    Tratamento de Febre amarela

    Não existe medicamento para combater o vírus da febre amarela. O tratamento é apenas sintomático e requer cuidados na assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sangüíneas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido numa Unidade de Terapia Intensiva.

    Não existem tratamentos médicos específicos contra o vírus da febre amarela. Normalmente o tratamento visa a melhora dos sintomas e em casos mais graves é realizado o atendimento em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), para reposição do sangue perdido nas hemorragias, diálise para os rins afetados e controle geral das complicações.

    Devido ao risco da doença se desenvolver de forma hemorrágica, é importante evitar o uso de aspirina.

    Convivendo/ Prognóstico
    Pessoas diagnosticadas com a forma mais simples da febre amarela devem manter cuidados básicos como:

    Repouso
    Reposição de líquidos, principalmente recorrendo ao soro caseiro em casos de vômitos
    Uso correto dos medicamentos indicados.
    Além disso, é importante que estas pessoas não fiquem expostas à mosquitos, ou podem infectá-los com a doença.




    _____________________________
    Organização Mundial da Saúde
    Ministério da Saúde
    Fundação Oswaldo Cruz
    Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos
    Clínica Mayo, centro de referência em medicina dos Estados Unidos

    Nenhum comentário

    Deixe-nos Sua Mensagem! Seja Sempre Bem Vindo(a)!