• Notícias

    Petroleiros: falta de alimentos começa a provocar desembarques nas plataformas da Bacia de Campos

    Divulgação
    A falta de alimentos já começa a provocar desembarques nas plataformas da Bacia de Campos. 

    Segundo o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense, Sindipetro-NF, na manhã desta segunda-feira (28/05), a entidade recebeu informações de que a Petrobras começou a promover desembarques em razão da restrição no acesso a alimentos em algumas unidades, entre elas a P-25, a P-35, a P-37 e a P-08.

    O Sindipetro desde o início da paralisação dos caminhoneiros monitora os impactos do movimento sobre os voos para a Bacia de Campos e as condições de habitabilidade e segurança dos petroleiros e petroleiras a bordo das plataformas da região.

    "Solicitamos desde o começo o desembarque dos trabalhadores que estivessem passando por problemas de habitabilidade e segurança nas plataformas. Os representantes da empresa começaram a atender, o que segundo eles já estava no plano de contingência", explica o coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra.

    O sindicalista também afirma que a entidade tem recebido informações de que estão ocorrendo restrições nos cardápios em muitas plataformas. A empresa tem garantido à entidade, no entanto, que o equilíbrio nutricional está sendo mantido.

    Bezerra reafirma a orientação do sindicato: os trabalhadores e trabalhadoras devem manter a entidade informada sobre as suas condições de habitabilidade e segurança (denuncia@sindipetronf.org.br). O NF vai continuar a cobrar da Petrobrás os desembarques dos locais onde não houver condições de manter a categoria.

    "Não vamos aceitar a produção sendo feita a qualquer custo, com sacrifício humano", afirma.

    Nos aeroportos da região, as informações desta segunda são de que houve fornecimento de querosene de aviação e os voos estão mantidos.

    PARALISAÇÃO

    A diretoria do Sindipetro-NF realiza interação ao vivo, pelo Facebook, com a categoria e com a sociedade, nesta terça-feira (29/05), às 22h, momentos antes do início da greve de 72 horas que petroleiros e petroleiras vão realizar, em todo o país, a partir de 0h desta quarta-feira.

    No "Face to Face", com o tema " Greve dos Petroleiros", os sindicalistas vão dialogar sobre as pautas do movimento, que inclui o combate à privatização da Petrobrás e à política que tem gerado aumento nos combustíveis para atendimento aos interesses dos acionistas e do mercado financeiro.

    A greve de advertência de 72 horas foi anunciada pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) e seus sindicatos filiados, entre eles o Sindipetro-NF, no último sábado (26/05). A categoria, que já estava com indicativo de greve aprovado, vai intensificar as mobilizações e paralisações para denunciar os ataques à soberania nacional e aos direitos dos trabalhadores.

    "Os trabalhadores do Sistema Petrobras iniciarão o movimento a partir do primeiro minuto de quarta-feira, 30 de maio, para baixar os preços do gás de cozinha e dos combustíveis, contra a privatização da empresa e pela saída imediata do presidente Pedro Parente, que, com o aval do governo Michel Temer, mergulhou o país numa crise sem precedentes", anunciou a FUP.


    Ururau

    Nenhum comentário

    Deixe-nos Sua Mensagem! Seja Sempre Bem Vindo(a)!