segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Açu de mar aberto para o mundo. Veja as empresas que já atuam no Porto

Foto Reprodução / JTV
Maior porto-indústria da América Latina, localizado em área privilegiada por ser perto dos campos petrolíferos mais profundos do Brasil, o Porto do Açu conta hoje com empresas líderes mundiais em vários setores e parece, enfim, decolar.


Depois de muitas incertezas, e da saída do empresário e idealizador Eike Batista – cujo reinado começou a ruir em 2012 – levando muita gente a desacreditar na retomada do empreendimento, o ano de 2014 marcou o primeiro carregamento de minério. Após a saída de Eike, o porto passou a ser operado pela  Prumo Logística.

A novidade para este ano é que o complexo portuário trabalha em projetos de viabilização de interligação dos modais rodoviário e ferroviário com o porto. Um deles é a ferrovia EF 118, que irá conectar os estados do Espírito Santo e o Rio de Janeiro, e a EF 354, que pretende ligar o Porto do Açu e toda a região aos centros consumidores do Sudeste e Centro-Oeste.

Sobre o assunto, o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, lembrou que o Porto do Açu é o maior porto em área do Brasil e ressaltou não ter dúvidas que logo será também o maior em operação. “O governo está absolutamente atento a esse novo momento e conversar com o setor para cumprir a nossa parte. Não adianta ter só o porto. O empreendimento também precisa de acesso, a gente precisa integrá-lo às regiões produtoras e consumidoras do país”.

O Porto do Açu conta com área de 90 km2 e 17 km de cais, que podem receber até 47 embarcações. Formado pelo Terminal 1 (T1 - offshore) e Terminal 2 (T2-onshore), o empreendimento está em operação desde outubro de 2014 com minério de ferro. O Porto do Açu conta com um Distrito Industrial e uma área para armazenamento dos produtos que serão movimentados. Até agora, foram R$ 13 bilhões em investimentos.

O espaço marítimo é dividido em Terminal 1 (T1) e Terminal 2 (T2). O T1 tem dois terminais: o de minério de ferro e o de Petróleo (T-OIL), além da ponte de acesso com 3 km de extensão, píeres para movimentação de minério de ferro e petróleo, canal de acesso e bacia de evolução.

Em funcionamento desde 2014 com a movimentação de minério, o T1 já recebeu mais de 100 navios e movimentou mais de 13 milhões de toneladas de mineiro de ferro. O terminal tem capacidade para movimentar 26,5 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. Com mais de 20 metros de profundidade, pode receber navios de 220 mil toneladas. 

Já o Terminal de Petróleo (T-OIL) tem com três berços para operação de transferência de petróleo (ship to ship) e capacidade para movimentar 1,2 milhão de barris por dia. O T-OIL começou a operar em agosto com o transbordo de 200 mil barris de petróleo por dia, o que equivale a cerca de 20% da capacidade diária do Terminal.

Para este ano, está previsto o início da dragagem do terminal para 25 metros, o que permitirá a atracação de navios ainda maiores.

Terminal 2 - O T2 é um terminal onshore instalado no entorno de um canal para navegação, que conta com 6,5 km de extensão, 300 metros de largura e profundidade de até 14,5 metros. A primeira operação comercial foi em 2014.  Com 13 km de cais, o T2 vai movimentar carga de contêineres, rochas, grãos, carga geral e derivados de petróleo.

Vocação para o petróleo  - A 123 km do centro da Bacia de Campos, o Porto do Açu atenderá às necessidades de logística e suprimento das atividades de exploração e produção na Bacia de Campos, Santos e Espírito Santo, o que gera uma grande economia de tempo e de combustível. No Porto, poderão ser instaladas bases para movimentação e tratamento do petróleo, base de apoio para as operações offshore e pólo metalmecânico.

O Porto do Açu também contará com uma Unidade para Tratamento de Petróleo (UTP) que movimentará de 1,2 milhão de barris por dia. Na UTP serão reduzidos os teores de sal e de água do petróleo, o que melhora a qualidade e o valor comercial do produto.

Empresas no porto 

1 - Nome da empresa – NationalOilwellVarco (NOV)
Atividade - produção de tubos flexíveis.
Data de instalação – 2014

2 - Nome da empresa – Technip 
Atividade – produção de tubos flexíveis
Data de instalação – 2014

3 - Nome da empresa - Edison Chouest Offshore (ECO)
Atividade – Base de apoio offshore. A Petrobras e a Chevron são clientes da Edison Chouest
Data de instalação – abril de 2016

4 - Nome da empresa – Ferroport
Atividade – operação de minério de ferro no Terminal 1.  A empresa é uma parceria entre a Prumo e Anglo American (50% cada empresa).
Data de instalação – 2014

5 - Nome da empresa – Anglo American
Atividade – mineradora responsável pela extração do minério de ferro que é exportado pelo Terminal 1. Ela extrai o minério em Conceição do Mato Dentro (MG) e o transporte um mineroduto com 535 km de extensão até o Porto do Açu.
Data de instalação - 2014

6 - Nome da empresa – Vallourec
Atividade – fabricação de tubos de aço. Até o momento, é a única empresa que confirmou sua instalação no Polo Metalmecânico
Data de Instalação – Confirmou instalação em breve

7 - Nome da empresa – Oiltanking
Atividade –parceira da Prumo no Terminal de Petróleo (T-OIL), a Oiltanking também é a operadora do terminal
Data de instalação – Agosto de 2016

8 - Empresa –BP Prumo
Atividade – parceiraentre a Prumo e a BP. Responsável pela operação do Terminal de Combustíveis Marítimo do Açu (TCMA), que importa, exporta, vende, armazena, mistura, distribui e/ou comercializa combustíveis marítimos.
Data de instalação – maio de 2016

9 - Nome da empresa – BG Brasil(recentemente adquirida pela Shell)
Atividade – Primeira cliente no Terminal de Petróleo (T-OIL), desenvolvido pela Prumo em parceria com a Oiltanking
Data de Instalação – operação iniciada em agosto de 2016

10 - Nome da empresa – InterRio
Atividade – Empresa irá instalar no complexo um hotel com 200 quartos em padrão standard, com cerca de 20 metros quadrados cada.
Data de Instalação – Ainda não definida

11 - Nome da empresa - Prumo 
Atividade – Empresa responsável pelo desenvolvimento e operação do Porto do Açu. Além disso, a Prumo também instalou o Terminal Multicargas (T-MULT), 100% desenvolvido e operado pela empresa. A Intercement, a Holcim e a Votorantim são clientes deste terminal.
Data de Instalação – 2015

12 - Empresa – Wärtsilä
Atividade - montagem e produção de grupos geradores e motores de navio no Brasil.
Data de instalação - 2015

13 - Empresa – InterMoor
Atividade - apoio logístico e serviços especializados à indústria de óleo e gás.
Data de instalação – 2014

14 - Empresa – Marca Ambiental
Atividade – serviços de coleta, tratamento e disposição de resíduos em geral.
Data de instalação – não definida

15 - Indústria Naval
Não há empresa instalada

16 - Indústria Offshore
Toda a área no entorno do canal é chamada de Indústria Offshore (inclusive onde estão a NOV, Technip, etc). A área que está sinalizada como Indústria Offshore no mapa é porque ainda está vaga.

17 - Terminal LNG
Terminal LNG é a sigla em inglês para Terminal de GNL (Gás Natural Liquefeito). Já está licenciado, mas sua obra ainda não foi iniciada.

18 - UPGN
UPGN é Unidade de Processamento de Gás Natural, ainda em projeto.

19 - UTP
UTP é Unidade de Tratamento de Petróleo, que ainda está em desenvolvimento.



JTV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe-nos Sua Mensagem! Seja Sempre Bem Vindo(a)!

| Notícias |

Curta a Nossa Fan Page No Facebook
Curta nossa página no Facebook e fique por dentro em primeira mão... Notícias, Dicas de Eventos, Curiosidades, Notas de Utilidade Pública e Muito Mais! De janeiro a janeiro, o ano inteiro com você! Portal da Praia Farol de São Thomé - www.praiafaroldesaothome.com.br - “A gente se encontra aqui!"

| Geral |

| DESTAQUE |

Motoristas podem agendar vistoria sem pagar o IPVA a partir de terça

Divulgação Motoristas podem agendar, a partir da próxima terça-feira, a vistoria de veículos no site do Detran sem a necessidade de p...

| Leia Também |

Você Conhece a História do Monumento do Farol? Assista!

| Sua mensagem aqui |

Enviar sua mensagem click AQUI
As mensagens são moderadas e passarão por análise antes de sua publicação.